Pelo menos 1.072 migrantes foram levados para a borda do território aquático da Grécia em botes salva-vidas infláveis ​​e abandonados pelas autoridades gregas, relatou o The New York Times .

O Times analisou evidências de várias fontes, incluindo pesquisadores acadêmicos, a Guarda Costeira turca e grupos de vigilância independentes. Eles descobriram que houve pelo menos 31 incidentes diferentes dessas expulsões nos últimos meses.

Najma al-Khatib, uma professora síria de 50 anos, disse ao The Times que em 26 de julho, ela e outras 22 pessoas, incluindo bebês, foram levadas por oficiais gregos mascarados de um centro de detenção na ilha de Rodes enquanto estava escuro lá fora. Ela disse ao The Times que eles foram deixados em um "bote salva-vidas sem leme e sem motor" e mais tarde foram resgatados pela Guarda Costeira turca.

“Deixei a Síria com medo de um bombardeio - mas quando isso aconteceu, desejei ter morrido sob uma bomba”, disse ela ao The Times.

O Guardian relatou no mês passado que a Grécia estava se preparando para lidar com um aumento de migrantes da Turquia depois que o país prendeu seis contrabandistas.

No início deste ano, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ameaçou libertar centenas de milhares de refugiados na Europa em meio às tensões em curso entre a Turquia e a UE. A agência de fronteira da UE disse que as ameaças de Erdogan aumentaram a defesa ao longo das fronteiras terrestres e marítimas da Grécia, informou o Guardian.

No entanto, o The Times relata que a decisão de abandonar os migrantes no mar é ilegal segundo o direito internacional.

"Essas resistências são totalmente ilegais em todos os seus aspectos, no direito internacional e no direito europeu" , disse ao The Times François Crépeau , ex-relator especial das Nações Unidas para os direitos humanos dos migrantes e professor de direito na Faculdade de Direito da Universidade McGill .

“É um desastre humanitário e de direitos humanos”, disse Crépeau.

A Grécia negou ter feito algo ilegal.

“As autoridades gregas não se envolvem em atividades clandestinas '', disse um porta-voz do governo, Stelios Petsas.“ A Grécia tem um histórico comprovado de cumprimento de leis, convenções e protocolos internacionais. Isso inclui o tratamento de refugiados e migrantes. "

Fonte: Business Insider

Deixe seu Comentário