A pandemia do novo coronavírus, decretada em 11 de março pela Organização Mundial da Saúde (OMS), barrou os planos de intercâmbio de muitos estudantes em todo o mundo. Diante da nova situação sanitária mundial, a Nova Zelândia foi considerada por estudante brasileiros o destino mais seguro pós-pandemia em pesquisa realizada pela Belta (Brazilian Educational & Language Travel Association).

Ainda de acordo com o estudo, que coletou a opinião de estudantes de 22 estados de todas as regiões do País, a Nova Zelândia é vista como o país mais competente no controle da pandemia. A Belta é a entidade que reúne as principais empresas do setor de intercâmbio do Brasil.

 

Os números da pesquisa mostram que 71,3% dos estudantes que têm interesse em realizar algum tipo de curso no exterior apontaram a Nova Zelândia como o país mais seguro, no aspecto sanitário, para uma viagem de estudos no futuro próximo (2020 – 2022).

O estudo também aponta que os estudantes brasileiros consideram a Nova Zelândia como o país mais competente nos protocolos de controle da pandemia: 75,7% deles escolheram o país da Oceania quando indagados sobre este assunto.

 

A pesquisa da Belta foi realizada por meio da internet, entre julho e agosto de 2020, com estudantes de todas as faixas etárias e representativos de todas as regiões do Brasil (22 estados). Segundo a pesquisa, aprender um novo idioma é um dos maiores estímulos para estudar fora, assim como vivenciar uma experiência internacional e a possibilidade de conciliar atividades de estudo com trabalho. Diferenciar o currículo e investir em educação internacional também estão no topo da lista de objetivos. Diante do atual cenário mundial, o levantamento abordou fatores de decisão para realização de um intercâmbio e a expectativa do desempenho educacional dos países na pós-pandemia.


Via Jornal doComercio 

Deixe seu Comentário