A Nova Zelândia e a NASA formaram uma parceria sob os acordos multilaterais Artemis, em um esforço para aprimorar a exploração espacial.

Os acordos orientam a exploração pacífica do espaço, a transparência das atividades e regras em torno das descobertas científicas e da utilização dos recursos espaciais.

A ministra das Relações Exteriores, Nanaia Mahuta, disse que o acordo é um bom primeiro passo para o desenvolvimento de regras mais rígidas sobre o uso de recursos espaciais - como os minerais da lua - a fim de garantir a sustentabilidade da exploração espacial.


"Levamos a sério as responsabilidades do ambiente espacial. A Nova Zelândia está comprometida em garantir que a próxima fase da exploração espacial seja conduzida de maneira segura, sustentável, transparente e em  conformidade com o direito internacional. "


O Ministro de Desenvolvimento Econômico e Regional Stuart Nash disse que o acordo permitiria à Nova Zelândia expandir sua indústria espacial, atualmente avaliada em $1,7 bilhão.


"A NASA está buscando explicitamente a colaboração internacional e a terceirização de soluções de tecnologia chave para o setor privado. A exploração do espaço não apenas aumenta nosso conhecimento de nosso planeta e universo e incentiva a pesquisa, a ciência e a inovação, mas também oferece oportunidades econômicas para a Nova Zelândia", disse Nash.


"As prioridades econômicas do governo incluem apoiar as empresas a tirar o máximo proveito de nossas conexões internacionais. Os Acordos Artemis nos permitem preparar para futuras oportunidades econômicas e comerciais, bem como cumprir os objetivos da política externa."


O Brasil também anunciou a intenção de assinar.


Resumo do texto dos Acordos de Artemis

Os Acordos contêm um conjunto de princípios elaborados para orientar a exploração e uso seguro e sustentável do espaço sideral. Os princípios são:


  • Exploração pacífica: Todas as atividades realizadas no âmbito do programa Artemis devem ser para fins pacíficos
  • Transparência: os signatários dos Acordos Artemis conduzirão suas atividades de forma transparente para evitar confusão e conflitos
  • Interoperabilidade: as nações que participam do programa Artemis se esforçarão para oferecer suporte a sistemas interoperáveis ​​para aumentar a segurança e a sustentabilidade
  • Assistência de Emergência: os signatários dos Acordos Artemis se comprometem a prestar assistência ao pessoal em perigo
  • Divulgação de dados científicos: os signatários do Artemis se comprometem com a divulgação pública de informações científicas, permitindo que o mundo inteiro se junte a nós na jornada da Artemis
  • Preservando o patrimônio: signatários do Artemis se comprometem a preservar o patrimônio do espaço sideral
  • Recursos Espaciais: Extrair e utilizar recursos espaciais é a chave para uma exploração segura e sustentável e os signatários do Artemis afirmam que tais atividades devem ser conduzidas em conformidade com o Tratado do Espaço Exterior. Os signatários pretendem usar sua experiência nos acordos para contribuir com os esforços multilaterais para desenvolver ainda mais as práticas e regras internacionais aplicáveis ​​à extração e utilização dos recursos espaciais, inclusive por meio de esforços contínuos no comitê da ONU COPUOS.
  • Desconflição de atividades: as nações do Acordo Artemis se comprometem a fornecer notificação de suas atividades e a coordenar com qualquer ato relevante, conforme exigido pelo Tratado do Espaço Exterior
  • Detritos orbitais: os países do Acordo Artemis se comprometem a planejar o descarte seguro de entulhos.


Fonte: RNZ

Deixe seu Comentário